Indicadores: Porque precisamos deles?

Sem indicadores de referencias, não é possível identificar pontos de fragilidade ou monitorar a efetividade de melhorias implantadas!

Para que possamos controlar a nossa velocidade nas ruas, existe um padrão de medição, que são os Km/h. E existe uma lei que diz qual é a velocidade máxima para as vias. Como todos os motoristas conhecem a lei, é possível que se aplique uma multa aos que ultrapassarem o limite estabelecido.

Do mesmo modo, a padronização do tamanho das pizzas que são entregues por Delivery nos permite estimar quantos pedaços vamos comer. E assim comprar a quantidade estimada correta de pizzas para a família. Imagina só como seria confuso se cada pizzaria tivesse uma pizza com um diâmetro diferente, e cortada em número distinto de pedaços?

O conceito a ser aplicado é o mesmo quando precisamos monitorar nossa empresa: É preciso saber onde estamos para poder definir metas e planos para atingi-las. Só que de uma maneira um pouco mais complexa.

Como definir os indicadores apropriados?

Inicialmente, é preciso identificar o objetivo real da empresa. Com isto, definimos as diversas ações e seus resultados esperados para cada processo realizado, que componha a atividade geral da empresa, para cada um dos itens de seu portfólio. Igual, as sub-atividades que vão ser desenvolvidas, e que comporão o objetivo geral devem ser identificadas, assim como seus resultados parciais esperados.

Para cada aspecto a ser monitorado deve ser criada uma ou mais métricas que permitam esta medição. Podem ser baseadas em experiencias anteriores, uma comparação com o mercado ou conhecimento do consultor especialista. Uma vez criadas as métricas, deve ser desenvolvido um diagnóstico do status atual destes aspectos analisados. Isto para identificarmos o ponto de partida, ou a linha de base.

O próximo passo é definir qual o indicador meta para cada atividade ou objetivo, e em qual prazo deve ser atingido. Para que então tenhamos o ambiente ideal para desenvolvermos o planejamento para atingi-la. Podem ser indicadores positivos ou negativos. Poodemos querem que eles cresçam, como no caso de faturamento. Ou podemos querer que eles diminuam, como é o caso de acidentes em obras.

Indicadores devem ser monitorados!

Mas, não adianta criar os indicadores se eles não forem monitorados e analisados periodicamente. Só assim é possível identificar os pontos de fragilidade da empresa. E assim criar planos de ação para cada um, priorizá-los e implantá-los gradativamente. Este monitoramento pode ser realizado pelos próprios interessados, pela equipe de gestão ou até mesmo por auditores internos ou externos. O monitoramento se encarregará de verificar se o plano de ação implementado surtiu o efeito desejado, ou seja, o indicador apresenta o número esperado!

Como visto os indicadores são essenciais para o monitoramento ou análise de efetividade de atividades de melhoria dentro da empresa. No ambiente atual do mercado, independente do ponte da empresa, quem não conseguir melhorar continuamente sua atuação será ultrapassado pelas empresas mais maduras, sejam elas nacionais ou internacionais.

Quer ajuda para definir e implantar indicadores que apoiem a empresa na correta tomada de decisões? Vamos conversar! 

E, se quiser receber nossos próximos artigos, cadastre-se em nosso mailing, clicando aqui!

Sobre Barbara Kelch

Sócia titular da Kelch Arquitetura, Consultoria e Projetos. Arquiteta e Gerente de Projetos, MBA, PMP e MRICS. Mediadora Judicial e Privada, habilitada a atuar no CNJ. Com 20 anos de experiência no Desenvolvimento de Projetos no setor da Construção e 4 anos de experiência em Auditoria, Gestão e Controle de Projetos de Engenharia e Construção na PwC